31 outubro 2010

1 de Novembro

Em Portugal, no dia de Todos os Santos as crianças andam de porta em porta a pedir o "Pão por Deus".
Recitam versos e recebem como oferenda pão, broas, bolos, nozes, castanhas e, nos últimos tempos, dinheiro, rebuçados ou chocolates.
Nos arredores de Lisboa, esta prática evocava o dia do terramoto (1 de Novembro de 1755), quando as pessoas, vendo todos os seus bens serem destruídos, foram às localidades que não tinham sofrido danos pedir "Pão por Deus".

Eis alguns versos

Pão, pão por Deus
à mangarola,
encham-me o saco,
e vou-me embora.

Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós
Para dar aos finados
Qu'estão mortos, enterrados
À porta daquela cruz.

Truz! Truz! Truz!
A senhora que está lá dentro
Assentada num banquinho
Faz favor de s'alevantar
P´ra vir dar um tostãozinho.

Se os donos da casa derem algo...
Esta casa cheira a broa
Aqui mora gente boa.
Esta casa cheira a vinho
Aqui mora algum santinho.

Se não derem nada...
O gorgulho gorgulhote,
lhe dê no pote,
e lhe não deixe,
farelo nem farelote.

Esta casa cheira a alho
Aqui mora um espantalho
Esta casa cheira a unto
Aqui mora algum defunto.





25 outubro 2010

20 outubro 2010

A convite da Câmara Municipal de Mértola, estaremos na Feira do Livro, nos dias 22 e 23 de Novembro, para contarmos as nossas histórias às crianças do Concelho.

07 outubro 2010

O Carnaval dos Animais

Camille Saint Saëns (Out. 1835-Dez. 1921) compôs O Carnaval dos Animais, descrito como uma fantasia zoológica, para celebrar o Carnaval de 1886.
Trata-se duma composição de várias peças para dois pianos e orquestra, com muitas referências a outros autores e a outras obras.
Saint Saëns proibiu a sua publicação. À excepção da peça O Cisne, a obra só foi apresentada ao público depois da morte do autor.

Propomo-nos apresentar cada peça ao longo dos próximos 14 meses.